A paixão de um ciclista veterano

DSC_0142

por Daniele Alves

Embaixo da sombra de uma palmeira, tentando fugir um pouco do sol que já começava a castigar às nove horas da manhã, estava José Miguel Torres com seus 63 anos, equipado com capacete e luvas. Naquele momento ele estava descansando, por alguns minutos, do percurso que tinha feito da sua casa, no bairro dos Torrões, zona oeste do Recife, até o Marco Zero, aproximadamente 7 km e meio. Ao mesmo tempo apreciava o movimento intenso de ciclistas que se aproximavam àquele espaço da cidade.

Conta orgulhoso que pedala desde criança porque sempre gostou de bicicleta, mas até então ele só a utilizava para se divertir. Quando começou a trabalhar (como encarregado de obras), a bicicleta virou seu meio de transporte e confessa, sem pensar duas vezes, que sempre achou melhor ir pedalando.

Hoje, seu José Miguel Torres está aposentado, mas nem por isso ele larga a bicicleta. A idade “avançada” não o afastou das suas pedaladas diárias. Todo dia vai de bicicleta da sua casa até o parque da Jaqueira ou até a praia de Boa Viagem. Faz isso porque acha que pedalar é um exercício gostoso, que faz bem para saúde, mas ao mesmo tempo aproveita para relatar seu desconforto provocado pelo riscos que corre diariamente no trânsito do Recife na maior parte dos seus trajetos, principalmente próximo a sua residência porque precisa passar pela BR-232.

Ali parado em frente a uma das ciclofaixas de turismo e lazer, ele compara a proteção dos domingos e feriados com o dia-a-dia. Diz que deveria ser assim todos os dias e acredita que a infraestrutura para quem pedala na capital só vai estar pronta quando não houver mais espaço para os carros se moverem dentro da cidade e que os motoristas só irão respeitar os ciclistas quando houver espaços exclusivos para as bicicletas nas principais vias.

Torres  pode não saber,  mas o simples fato de usar a  bicicleta como meio de transporte já faz dele um vencedor porque pedala na contramão da arrogância e do egoísmo dos motoristas maus educados, da falta de compromisso e planejamento por parte dos órgãos responsáveis pela mobilidade e infraestrutura que Recife possui.

Apesar disso, seu José Miguel Torres deve continuar celebrando a boa saúde e o papel dele como um bom cidadão, que se preocupa com a sua cidade e com o futuro das outras pessoas. Aparentemente, essa bicicleta só deve parar de transitar nas ruas quando seus olhos fecharem para sempre.

Saiba mais:

Holanda desenvolve bicicletas inteligentes para idosos

Anúncios

Um comentário sobre “A paixão de um ciclista veterano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s